Ambos têm autonomia para realizar seu trabalho, definem seus horários e sua disponibilidade para aceitar demandas, muitas vezes optam por homeoffice e são os patrões de si mesmo mas será que ser freelancer é a mesma coisa que ser MEI?

As semelhanças entre essas modalidades de trabalho param por ai, entenda agora o que diferencia um profissional freelancer.

O que é um freelancer?

Chamamos de freelancer todo profissional liberal que presta serviços de forma autônoma. A popularização do termo nos últimos anos se refere principalmente a profissionais que prestam serviços de natureza intelectual, artistica e literaria, mas não apenas. Essa entretanto já é a primeira grande diferença entre um MEI e um freela.

Enquanto a atuação na maior parte desses serviços só é permitida no modelo de sociedade simples, o profissional que atua como freela exerce tranquilamente a sua profissão.

O que um freelancer faz?

Um profissional que trabalhe desta forma pode atuar em praticamente qualquer área, mas, como dito anteriormente, o termo é mais utilizado para designar profissionais como designers, redatores, fotógrafos, jornalistas, programadores, músicos, pintores, profissionais de marketing e afins. 

Esses profissionais tão versáteis oferecem serviços seja para pessoas quanto para empresas atendendo as mais diversas demandas. Dentro das organizações por exemplo, vemos a necessidade de freelancers quando é necessário a realização de um trabalho específico (criação de um site, por exemplo), mas a demanda não é tão grande para que se contrate um funcionário ou se crie um departamento de desenvolvimento para isso. Ai que entra o freelancer, realizando o trabalho de maneira terceirizada ele atende a necessidade da empresa sem a existência de um vínculo empregatício.

É principalmente no meio digital que esses profissionais buscam oportunidade, seja para ter mais controle do seu tempo, mudar de área ou se reinserir no mercado a tendência a esse modelo de trabalho vem crescendo a plenos pulmões.

Onde entra o MEI nessa história?

Dependendo da área de atuação alguns profissionais liberais podem sim ser MEI, como é o caso dos que trabalham com contabilidade ou jornalismo, esses profissionais vão estar formalizados, porém não são todas as atividades que se enquadram no CNAE, nesses casos nem sempre é viável a formalização como outra modalidade de empresa e muitos profissionais ofertam suas atividades mesmo sem se formalizar. Então basicamente, todo MEI (prestador de serviços) é freelancer mas nem todo freelancer é MEI.

O que é preciso para ser freelancer?

Algumas características são indispensáveis, principalmente quando se fala de trabalho autônomo, será que você tem o perfil?

  • Organização: Trabalhando sozinho você faz seus próprios horários, porém não dá pra esquecer que os clientes têm prazos e que eles precisam ser cumpridos.
  • Responsabilidade: Saber seus limites e o montante de serviço que você pode aceitar para não se sobrecarregar é de extrema importância.
  • Capacidade de comunicação: Seja para prospectar clientes sabendo oferecer seus serviços, fechar negócios e entender o que o cliente deseja, saber se comunicar e se fazer entender é essencial. 
  • Flexibilidade: Saber se adaptar às demandas para atender as necessidades dos clientes. Ao invés de trabalhar com uma empresa fixa você estará prestando serviços para vários perfis diferentes, cada um com suas peculiaridades e exigências.

Você acha que essa talvez seja a modalidade ideal para você? Tem dúvidas ou curiosidades sobre a atuação do freelancer no mercado? Deixe um comentário.

Publicar Comentário