Alegria de pobre dura pouco não é? Sempre surge um imprevisto, um gasto inesperado, uma situação complicada que nos deixa noites em claro pensando em como resolver. Um mistério para muitos, guardar dinheiro ainda parece impossível mas o hábito precisa ser discutido principalmente em um país grande e desigual como o nosso. Ter uma poupança é o primeiro passo para garantir a sua saúde financeira e tranquilidade no final do mês.

Mas por onde começar? O que fazer? Como aprender a guardar dinheiro em um país onde apenas 8% da população poupam? Bem, esqueça todos os gurus e os livros de autoajuda, a inteligência financeira não é nenhum segredo milenar e pode sim ser acessível à você.

Primeiro passo

É necessário que você saiba quanto ganha e quanto gasta todo mês. Se você não recebe um salário fixo faça a média dos últimos seis meses e se baseie por ela. Bote no papel também todos os seus gastos fixos e variáveis. É preciso saber para onde o dinheiro vai.

Dívidas pendentes

Essa é a hora que você liga para o gerente do seu banco para renegociar os juros daquele empréstimo. Veja as opções para liquidar suas dívidas ou diminuir os juros. Existem várias fintechs que oferecem empréstimos fazendo comparativos de juros na hora, busque saber se não vale mais a pena pegar um com juros menores para liquidar dívidas anteriores e fique de olho nas oportunidades, o feirão do Serasa Limpa Nome 2019 já começou e você pode conseguir até 98% de desconto em sua dívida além da possibilidade de dividir em parcelas. 

Reserva financeira

A primeira coisa a se almejar quando se fala sobre poupar é focar em criar uma reserva de emergência, aquela quantia de dinheiro que vai estar ali na hora que surgir um imprevisto. Houve um problema na casa e você precisa chamar um técnico? Queimou um eletrodoméstico? É à sua reserva que você deve recorrer. 

Por onde começar

Comece mesmo que com pouco. Poupar 50 reais pode não fazer sentido para você mas lembre-se que isso faz diferença. O ideal é que sua reserva seja o suficiente para pagar todos os seus gastos fixos por alguns meses, para que você possa ter segurança em caso de perda de emprego, mas não se preocupe se você está começando agora, o dinheiro se acumula, apenas tenha em mente o seu compromisso com a sua segurança financeira e crie o hábito de guardar dinheiro.

Tenha um objetivo em mente

Saiba o motivo pelo qual você está poupando, quais serão suas metas após criar sua reserva, para que você vai guardar? Se você não vê sentido no dinheiro que está guardando fica muito mais difícil a construção desse hábito e você vai gastar com a primeira coisa que aparecer no caminho.

Saiba onde guardar o dinheiro

O rendimento quase nulo da poupança não vai proteger seu dinheiro nem da inflação. Existem alternativas mais rentáveis no mercado e que não oferecem custos. Para pequenos montantes e sua reserva de emergência uma aplicação com liquidez diária e que renda 100% do CDI já se mostra uma boa opção. 

A inteligência financeira se constrói no dia-a-dia, seja racional, reconheça seus limites mas entenda a importância de fazer uma poupança e o quanto isso pode te ajudar a se organizar e lidar com emergências. Tem alguma dúvida ou quer uma consultoria? Deixe um comentário.

Publicar Comentário