O mundo está mudando, a quarta revolução industrial está alterando não apenas a nossa relação com a tecnologia e as relações interpessoais, mas também todo o mercado de trabalho e a forma como trabalhamos, nesse panorama vemos surgir novas necessidades, novos empregos e um novo modelo de profissional. 

O mercado passa a exigir cada vez mais um conjunto de habilidades humanas em detrimento das capacidades técnicas, são as chamadas Soft Skills e é sobre elas que vamos falar hoje.

Soft skills:

Foi com base nessas constatações que o Fórum de Economia Mundial (WEF) reuniu diversos especialistas em  torno de descobrir quais serão as habilidades mais desejadas ao profissional do futuro, e o relatório com os resultados dessa pesquisa expõe as apostas sobre o que será necessário para esse profissional se manter relevante no mercado após essa segunda década do século XXI.

1 – Resolução de problemas complexos

Essa habilidade é uma eterna construção. A partir de experiências anteriores e da bagagem pessoal o profissional se torna capaz de prever situações e solucionar problemas ainda abstratos.

2 – Pensamento crítico 

Os ambientes de trabalho cada vez mais democrático permitem e exigem que o funcionário pense de maneira crítica. Ser capaz de olhar as entrelinhas das situações, analisando os prós e contras e chegando às suas próprias conclusões é essencial nesse mundo mais horizontal e acelerado.

3 – Criatividade

Essa não é novidade, quando as profissões se afastam da tecnicidade e passam a ter uma abordagem sobretudo intelectual, a criatividade surge como uma ferramenta importante para a solução de conflitos internos e externos à organização.

4 – Gestão de pessoas

Apesar de seu nome essa habilidade não é mais requisito exclusivo para os cargos elevados. Gestão de pessoas fala sobretudo da capacidade de motivação e direcionamento de esforços para maximizar os resultados desejados, em ambientes onde a hierarquia já não é mais tão definida uma equipe de profissionais que atuem em conjunto e tenham essa habilidade conseguem ainda assim se organizar e produzir de maneira satisfatória.

5 – Coordenação com os outros

Diretamente relacionada com a gestão de pessoas a colaboração é imprescindível para criar o melhor ambiente de trabalho possível e alcançar os objetivos não apenas da organização mas também de cada funcionário individualmente.

6 – Inteligência emocional

O conceito se refere a saber reconhecer, compreender e lidar com emoções do próprio indivíduo e de terceiros. Além desse autoconhecimento permitir que o profissional consiga se manter motivado ele tem uma função estratégica quando se trabalha com outras pessoas, compreender as limitações e dificuldades que os indivíduos de uma equipe podem estar sofrendo e ser empático frente a isso melhora as relações interpessoais e também a execução de projetos. 

7 – Julgamento e tomada de decisões

É a capacidade de interpretar situações complexas e tomar decisões adequadas frente às mesmas. Hoje os processos são sobretudo virtuais e além disso os acelerar, gera também um montante gigantesco de dados a serem analisados, ser capaz de analisar estas informações e encontrar insights dentro delas se torna cada vez mais uma necessidade.

8 – Orientação para servir

Criar e nutrir um relacionamento com clientes é algo que exige esforço e dedicação, ainda mais sendo por e para eles que as organizações existem. Saber se adaptar aos clientes para se comunicar, reconhecer as necessidades do cliente, ajudar ele a descobrir seus problemas e escolher a melhor solução é cada vez mais relevante.

9 – Negociação

O carro chefe das habilidades interpessoais, a negociação se mostra necessária em todos os níveis e processos de uma empresa. Saber negociar com clientes, colegas e gestores é essencial para uma boa convivência, para um ambiente saudável e para atender da forma mais satisfatória as demandas de todos os envolvidos na organização.

10 – Flexibilidade cognitiva

Essa habilidade se refere a quão adaptativo e flexível o profissional é. Pessoas que tem capacidade de sair da zona de conforto, analisar as situações a partir de novas perspectivas e por conta disso fazer associações capazes de levar a uma solução inovadora serão de grande valor.

Vale lembrar que essas habilidades são todas passíveis de aprimoramento e não são inatas. Mas e você, consegue se enxergar como um profissional do futuro?

Publicar Comentário